• IMG_1338
  • GOPR38551
  • IMG_16691
  • DSC028631
  • Slider1

Roteiro de 5 dias em Fernando de Noronha

Diário de Bordo

 Com a câmera pronta para sacar minhas fotos, meu coração veio na boca quando vi grande parte da ilha passar do meu lado oposto no avião, mas em um minuto mais tarde, a Baía dos Porcos se enquadrava na janelinha do meu assento e garantindo a foto ícone da minha viagem. Seguir a dica de sentar do lado esquerdo da aeronave para Fernando de Noronha foi a deixa para começar o passeio com pé direito.

Já no aeroporto, o onipresente Morro do Pico pede uma foto na frente do avião mesmo.

Fernando de Noronha é simples, na comida, na estrutura da grande maioria das pousadas, no transporte (seja taxi ou ônibus) e os preços não são compatíveis com essa realidade. A ilha, entretanto, é tão bem realizada pela natureza, que a gente se conforma que não há dinheiro que pague por aquele pôr do sol tão incrível.

Chegando em Noronha. Sente do lado esquerdo do avião.

1o dia: Vila e Forte N. Sra dos Remédios

Vale lembrar que a ilha tem uma hora a mais que o continente. Exceto no horário de verão. Geralmente os vôos chegam à tarde, próximo ao meio dia ou às quatro da tarde, mas o dia não esta perdido.

Apesar do centrinho da Vila dos Remédios estar bem caidinho, ele vale uma visita. Aproveite para dar uma pesquisada nos preços dos passeios. Dependendo do número de mergulhos e de quantas pessoas farão, dá pra pechinchar um desconto significativo por exemplo.

Visite a Igreja N Sra dos Remédios e as ruínas da Fortaleza erguida pelos portugueses. Ali foi meu primeiro pôr do sol em Noronha. Todos são imperdíveis de qualquer ponto. Aproveite.

Vila N. Sra. dos Remédios

Vila N. Sra. dos Remédios

Forte N S dos Remédios

Forte N S dos Remédios

Entardecer no Forte N S dos Remédios

Entardecer no Forte N S dos Remédios

Pertinho da praia do Cachorro tem o Bar do Cachorro, chopp, musiquinha e um fim de tarde do cacete.

Pra jantar tem o restaurante da D. Edilma (R. S. Miguel, 100 – Casa – Vila dos Remedios). É bem simples, banheiros suspeitos, mas o preço é bem honesto e a comida é bem gostosa. O carro chefe é o tubarão no molho de camarão.

Uma opção bem mais alinhada é o restaurante Xica da Silva, no Bairro Floresta Nova. Com um pouquinho de disposição dá para chegar a pé também. O lugar é super confortável e a comida é incrível. O preço é compatível com a realidade de Noronha, mas nenhum absurdo. Ainda mais para mim que moro no Rio de Janeiro.

Todas as noites, às 21hs (exceto domingo, 20:30h), rolam palestras na sede do Projeto Tamar. Logo ao chegar na Ilha, tem um vídeo com as atrações e a agenda. Escolha um dia que o assunto lhe interesse e não vá muito cansado. Apesar de ter ouvido maravilhas, as duas vezes que fui achei bem monótono. Beeeeeeeem monótono. Se a ilha estiver cheia é recomendável chegar cedo para conseguir lugares. Ingresso Gratuito. Alameda Boldró s/n.

2o dia: Passeio de Barco

Escolhi fazer no dia seguinte o passeio de barco. Todas as agências oferecem este programa. Alguns com almoço e outros não. O preço varia de R$80 a R$150, 00.

A agência te pega no hotel e te leva para o Porto de Santo Antônio. O único porto de águas transparentes que conheço, ali é local de snorkelling inclusive. É preciso apresentar a carteirinha do parque adquirida mediante ao valor de R$75, 00, o qual já mencionei.

O roteiro é praticamente igual em todas as agencias, cobrindo o Mar de dentro, aquele que é virado para o continente. Começando nas ilhas em frente ao porto à ponta da Sapata.

Logo no início: os golfinhos rotadores. Muitos. Eles aparecem longe e em poucos minutos estão acompanhando o barco. Diversão garantida, apesar de não poder saltar para nadar com eles. Há quem tenha a sorte de encontrar com eles num mergulho de garrafa.Dali, Praia do Cachorro, Praia e Ilha da Conceição, Boldró, Americano, Bode, Cacimba do Padre, Bahia dos Porcos e Baía do Sancho. A vista do mar é impagável e imperdível. No meio do caminho o Morro do Pico imponente.

Na praia do Sancho, rola um almocinho (caso seu pacote inclua) e 40 minutos para mergulho livre. Pegue um snorkel, tem muito bicho pra ver.

O barco segue até a ponta da Sapata no extremo oposto do mar de dentro. Ali, o barqueiro avisa que a qualquer momento o mapa do Brasil vai se formar em uma abertura bem na pontinha; e lá em cima da montanha, uma estranha formação rochosa em forma de um Urso tocando Piano.

O mapa do Brasil na Ponta sa Sapata e o Urso tocando Piano

Uma opção, que não necessariamente esta associada ao passeio é o Aquasub. É um pranchinha em forma de boomerang tracionada pelo barco. Você controla a hora de submergir ou emergir, direcionando a ponta da prancha para cima ou para baixo. Além da sensação incrível, dali debaixo você pode ver um navio naufragado, tartarugas, arraias, tubarões… eu achei esse plus imperdível. Caro porém, de R$80 a R$100, 00.

Aquasub

Aquasub

 

Vista do Forte de Santo Antônio

Vista do Forte de Santo Antônio

3o dia: Ilhatour

Ilha Tour. Há quem garanta que este passeio deve ser o primeiro a ser feito, mas eu gostei de ter um panorama marítimo para começar.

A gente encarou a Ilha com o Pontual da Locadora Floresta Nova. O cara é bacana demais. Divertido, paciente e flexível com as possibilidades. É um programa que dura o dia inteiro, começa bem cedo e termina com o pôr do sol, literalmente; portanto seu guia faz muita diferença no passeio. Li sobre gente que achou tudo muito corrido e que não aproveitou bem os lugares. Procure por ele.

O passeio custa em média R$100 reais por pessoa, depois de muito chorar consegui um descontinho de 10 conto por cabeça. Tem ainda o aluguel de máscaras, snorkels e pés de patos, mas foi bem barato e pegamos só 2 para nós 4.

O roteiro vale um post inteiro, já que ele passa pelos principais pontos da ilha. Então assim será feito.

Pontual (Locadora Floresta Nova): Claro:(81) 9213 2628 – TIM: (81) 9523 6184 – Oi: (81) 8765 4031 – (81) 3619 0219 e 3619 0114.

4o dia: Mergulho de Garrafa e Sua Praia Preferida

O mergulho de garrafa talvez seja a maior atração da ilha. São 230 espécies de peixes, 5 tipos de tubarões, 15 variedade de corais e muitos cenários como costões, abismos e naufrágios em águas tão transparentes que podem ultrapassar 40m de visibilidade.

Pra quem nunca mergulhou, agende seu batismo para ontem. É uma experiência única, mais que um mergulho em um mundo desconhecido e uma imersão em você mesmo. Sério. É você, uma nova perspectiva de consciência corporal e um mundo novo, tudo sintonizado pelo barulho mantriônico da sua respiração. Mergulhar em Fernando de Noronha então que é quentinha… rá! E pra levar para sempre.

((Fugindo um pouco do post, quando estive na Tailândia, fiquei sabendo de um casal que sobreviveu ao Tsunami de 2004 simplesmente porque estavam abaixo da zona de ação da turbulência. “Imersos” em outro mundo, quando voltaram a superfície acharam que tinham sido esquecidos para trás pelo barco de apoio, quando na verdade foram poupados de um dos maiores desastres naturais da atualidade.)))

Não precisa ter habilitação para fazer sua estréia com Iemanjá, o batismo pode ser feito por qualquer pessoa, dura em média de 20 a 35 minutos, desce a uma profundidade de até 12 metros e você sempre terá um instrutor lhe segurando durante todo o mergulho, por isso é bastante seguro. Algumas informações básicas são demonstradas no barco durante o trajeto até o ponto de mergulho.

De acordo com meu instrutor o melhor lugar é Pedras Secas, um conjunto de rochas que afloram na superfície, cheio de entradas que formam cânions repletos de vida, mas o que não falta na ilha são pontos para mergulhos.

A entrada de um Swell, justamente neste dia, mudou o cenário plácido das águas de Fernando de Noronha e o mar ficou batido. Meu mergulho foi transferido para o costão da Ilha rasa, e minha Aventura Noturna cancelada. Confesso que apesar das águas claras e de uma correnteza profunda que nunca havia sentido, o mergulho – por causa do swell – deixou a desejar, mas como mochileiro inveterado eu já aprendi a curtir o que quer que seja que meu ‘roteiro´ possa dar. E ainda tenho um motivo justo para voltar.

Mergulho no costão da Ilha Rasa. Água muito mexida por causa do swell

a força do swell

a força do swell

A aventura noturna, é o mergulho realizado no final da tarde ou à noite para conhecer a fauna notívaga. Para mergulho de turismo é preciso carteira avançada; para iniciantes ou mergulhadores uma estrela. O mergulho funciona como batismo.

Fiz com a agencia Águas Claras, a equipe era bem bacana e as fotos profissionais bem caras. Não lembro o preço, mas só comprei 2 fotos, o resto foi na minha máquina alugada mesmo. O Batismo era R$320,00 e paguei R$390 no mergulho credenciado com todo o material incluso e dois mergulhos por saída. O aluguel da câmera era R$50,00/dia, mas consegui um descontinho porque fiquei mais tempo com ela.

Com dinheiro vivo e/ou mais mergulhadores é possível negociar. Encha o saco e conseguirá preços mais interessantes.

Águas Claras. Alameda do Boldró S/N. (81) 3619 1225 e (84)9130 3042

A página deles no facebook tem várias fotos legais para empolgar

Ok, se não consegui te convencer a mergulhar de garrafa a solução é snorkelling na praia do Sueste ou o Porto Santo Antônio. Basta colocar a cabeça debaixo d’água e você vai ver de tudo. No porto tem um naufrágio ali mesmo. Em Fernando de Noronha você vai ter que estragar a chapinha, é proibido não molhar o cabelo!

Os mergulhos podem ser feitos de manhã ou à noite, mas como em Fernando de Noronha tempo é dinheiro, o melhor mesmo é fazer quando o dia nasce para estar liberado antes do almoço para pegar uma prainha.

Escolhemos a praia da Cacimba do Padre, pra nós, a mais bonita da ilha. E depois de um delicioso peixinho assado na folha de bananeira no tradicional Restaurante das Gêmeas, seguimos para a Praia da Conceição, onde rola um movimento.

Tão importante quanto fazer os passeios, é guardar um tempo pra ‘ficar de boa’, contemplar e nada mais. Seja no programa óbvio como assistir o pôr do sol, um dos mais lindos que já vi; seja nas sutilezas incríveis como a guerra das fragatas e atobás.

Oportunistas inveteradas, as fragatas estão sempre atrás de presa já caçada. Pirateando atrás de barcos pesqueiros ou dos atobás, os verdadeiros pescadores.

5o dia: Praia do Atalaia

Os vôos de Fernando de Noronha geralmente saem à tarde, portando o último dia de viagem ainda é dia útil. Nosso vôo pra deixar a ilha sairia só às 16hs e como tudo por lá é bem pertinho, a escolha foi a praia da Atalaia.

Praia da Atalaia

Praia da Atalaia

Essa piscina natural, formada por uma bancada de corais, é considerada um berçário natural; e exatamente por isso, é a única praia da ilha que tem o acesso controlado pelo IBAMA. Apenas 100 pessoas por dia, divididos em 4 grupos, podem visitá-la. E mesmo assim, podendo permanecer no máximo por 20 minutos, e sempre na maré baixa. A visita deve ser agendada com antecedência, e dependendo da temporada, com muita antecedência.

O acesso é gratuito e é feito a pé por uma trilha curta que sai pertinho da Vila dos Trinta, você só precisará alugar o snorkel. O passeio todo leva cerca de duas horas.  Pra quem tem mais tempo, existe uma “trilha longa”, que precisa de guia (R$ 80,00) e que leva em torno de 5 horas. A diferença é que depois do Atalaia, a trilha longa passa por mais duas piscinas naturais, que dependendo de como estiver a maré é possível entrar. E termina na Praia das Caieiras, próxima ao porto.

Por causa do Swell, toda a área foi tomada por algas e não vimos nada a não ser meia dúzia de sargentinhos, mas valeu pelo visual da praia, que como todas de Noronha, é linda.

 

O que Você precisa Saber

Faça com tour, Faça por conta, mas faça tudo!

O Realismo Fantástico de Fernando de Noronha

 

Veja a Galeria de Fotos: Fernando de Noronha | Fotos

0 Comentários