• IMG_1338
  • GOPR38551
  • IMG_16691
  • DSC028631
  • Slider1

Conheça Palmas!

A capital mais jovem do país foi fundada há pouco menos de 30 anos, em 1989, com o propósito de ser a capital do recém criado estado Tocantins. Construída do zero, a cidade de avenidas amplas, arquitetura moderna e um calor de rachar os córneos teve um grande boom de desenvolvimento que desacelerou significativamente nos últimos anos, mas que continua em ascensão. Como eu vinha do estado de Sergipe e Maranhão achei os preços de hospedagem e alimentação bem salgados, mas nada comparado com os nossos do Rio e São Paulo.

Porta de entrada para o Jalapão e a Chapada das Mesas, Palmas oferece bem mais do que esperava e fiquei feliz de ter tempo suficiente para curtir tudo que quis. Irei fazer um ROTEIRO BÁSICO de UM DIA, mas que pode – e deve- ser alongado.

Escolhi o Hotel Atlas no centro. Bom custo benefício e pertinho da Praça dos Girassóis e Palmas Shopping (opção para um lanche rápido ou um cineminha quem sabe?), dá para ir a pé para ambos.

Comece o dia mais cedo, antes do sol esquentar, na Praça dos Girassóis. Considerada uma das maiores  do mundo, tem muitos monumentos para ver e pode ser desconfortável fazê-la à tarde. Ali está o Palácio do Araguaia, sede do Poder Executivo do Estado, que abriga painéis históricos que retratam cenas da instalação de Palmas; o Marco Centro Geodésico do Brasil, bem no meio de uma rosa dos ventos e faz referências as etnias indígenas; o Memorial Carlos Prestes projetado por Oscar Niemeyer (que conta com a exposição do acervo doado pela familia Prestes); Monumento 18 do Forte e alguns outros… Faça o passeio de boa, com uma garrafinha de água, protetor solar, se tiver um bom papo melhor ainda… senão vai ser só ticar monumentos.

Palácio do Araguaia

Palácio do Araguaia, sede do Poder Executivo do Tocantins

Monumento 18 do Forte

Se sobrar tempo na sua manhã passe no Palacinho. O nome oficial é Museu Histórico do Tocantins e foi o primeiro edifício construído na cidade. Feito em madeira de Jatobá, foi também a primeira sede do Poder Executivo do Gov. do estado. Fica na parte alta da cidade e bastante gostosinho de curtir. O museu tem uma coleção de objetos artísticos, arqueológicos, étnicos e tradicionais do estado.

Diferente do que li, nada em Palmas é pertinho pertinho para ir a pé, mas rola um Uber de boa.

Tive um almoço e tarde gostosa  na Praia do Prata. Eu achei melhor que a Graciosa para curtir a água e uma cervejinha.  PS* – Segundo um  motorista, o Uber e táxis costumam evitar buscar passageiros lá por causa da poeira, mas rola dar uma insistida e após dois ou três cancelamentos alguém aparece, você não vai ficar preso lá (Foi assim comigo). Outra opção é combinar a volta com quem te levar.

Cervejinha gelada com um gurjão de caranha, um peixe muito gostoso da região.

As praias de Palmas ficam no imenso lago formado pela barragem da Hidrelétrica Luiz Eduardo Magalhães, a do Prata é a praia urbana mais afastada, nem por isso tão longe assim. O pôr do sol lá é tão lindo quanto o da Graciosa, apesar de não tão famoso.

Pôr do Sol na Praia do Prata

Uma curiosidade é sobre as cerquinhas que isolam a área para nado. Até relativamente pouco tempo atrás, os restos de comida jogados pelos turistas na água (as barraquinhas são literalmente dentro dela) atraiam pequenos peixes, e estes as piranhas… volta e meia uma confundia um dedão com rango;  e o número de acidentes não era tão raro assim. Hoje ´tá de boa, Vai na fé.

Recomendo comer o Tucunaré fritinho ou gurjão de caranha, um peixe muito gostoso da região.

Pingo de Mel. Um doce que vale trazer!!!

De lá fui direto para a Feira da 304, mas ela só acontece às terças e sextas a partir das 17hs, sendo que na sexta-feira atravessa a madrugada até a manhã de sábado. O pessoal sai direto da balada para tomar um caldo e curar a bebedeira.

Não é uma puuuuuta feira, mas é bacana para conhecer frutas e pratos típicos da região, comprar uma última lembrancinha de capim-dourado e, COM CERTEZA, comprar um doce que só vi lá: O Pingo de Mel parece um pé de moleque feito de puxa com mel. Vai por mim, é bom demais!

Pra terminar, e se não tiver comido na feira, jante o delicioso peixe no espeto do Restaurante Tabu. O Surubim é assado em postas no espeto junto com cebolas inteiras e é servido com arroz e purê (podia ter melhores opções de acompanhamento, eu sei…). O gosto é bem diferente e com poucas espinhas. Espetacular!  Avenida Teotonio Segurado 20, Palmas, Tocantins 77062-155, Brasil  tel: 63 3215 1850

Praia do Paredão e do Funil               

Se tiver mais um tempo na cidade arrume um jeito de chegar à praia do Paredão e, só para conhecer, pegue um barquinho de lá por R$5 o trecho, para a Praia do Funil. A praia, que na verdade é uma ilhota de banco de areia, está sob um paredão de pedra de 30m e  com águas cristalinas. Ela fica a 40km da capital. Basta seguir para Miracema pela TO-010, até atravessar a ponte que passa sobre o Rio Tocantins, em Lajeado. Depois disso é só ficar de olho no lado direito da pista, há aproximadamente 3km, a placa escrita Balneário Lucena. Além do destino em si, a estrada através do cerrado é linda, com várias vistas para a Lagoa do Lajeado com suas chácaras às beiras da represa. A praia possui um restaurante te comida simples e honesta, mas gostosa. E a cerveja tinha preço justo e estava gelada.

Paredão de 30m, parecendo esculpido, sobre a praia.

 Taquaruçu        

Eu resolvi ficar um dia a mais com a Ourique Company, empresa que contratei para fazer o Jalapão, para conhecer os atrativos desse distrito de Palmas de clima bem mais ameno que a capital e foi bem divertido. Se preferir alugar carro o acesso é bom e está apenas 30km do centro da capital tocantinense.

O lugar  possui 82 cachoeiras, mas o que eu curti mesmo foi descer de rapel pelo véu da Cachoeira da Roncadeira, um paredão de 70m. Na mesma pequena trilha para lá, no meio de uma mata de galeria (típica do cerrado) também é possível conhecer a Cachoeira Escorrega Macaco. Outra cachoeira bem bonita e a Cachoeira do Evilson, que fica dentro da propriedade deste cara e tem um custo de R$10 para entrar. Enfim, são várias opções de cachú só dependendo da sua disponibilidade. Vale lembrar que o Tocantins vive um período de seca severa que tem reduzido significativamente o volume das águas.

Cachoeira do Evilson

Ilha do Canela e Pôr do sol na Graciosa

Vista das Praias da Graciosa e Prata, a pequena ilha artificial também é citada como um must to go de lá, porém me falaram tão mal que desisti (suja, comida ruim e cerveja cara no único restaurante…) . (…) Mas eu deveria ter ido para tirar minhas próprias conclusões SE eu tivesse mais tempo além deste monte de coisas que fiz lá e que gostei demais.

O pôr do Sol e a cerveja gelada na Praia da Graciosa vale muito a pena. Fiz uns amigos lá e batemos um papo bom vendo o sol descer. Não é uma praia que os banhistas gostam. É um lugar para o fim do dia.

Eles falaram que é muito comum festas nos flutuantes (barcos que lembram catamarãs) no meio da Represa do Lajeado, que saem do porto dali. Eu curti a idéia. Vou procurar saber mais informações quando voltar pra lá… se souberem de algo, mande pra mim!

 

Links:

Jalapão – O Brasil que você não conhece!

0 Comentários