• IMG_1338
  • GOPR38551
  • IMG_16691
  • DSC028631
  • Slider1

Roteiro para Conexões de 9hs em Bogotá

Além das cidades colombianas no continente e no caribe, a capital também é rota para muitas companhias aéreas que vão aos Estados Unidos, como para Houston, Miami e Nova York; e geralmente com escalas demoradas, então porque não aproveitar este tempo?

Indo para San Andrés, eu decidi abrir minha passagem na ida para ficar duas noites e na volta, com uma escala inevitável, resolvi estendê-la o máximo possível para aproveitar um pouquinho mais e foi ótimo. Cheguei de San Andrés às 12:45h e voltei às 21:45hs para o Brasil.

Em Bogotá, sempre conte com um trânsito complicado nas horas de pico. Em todos os casos, este roteirinho permite fazer bastante coisa e com calma.

O ultrajado Símon Bolívar

Saindo à direita do terminal existe um ponto de táxi oficial; no caminho, um guichê para guardar volumes maiores de bagagem de mão.

Do aeroporto, eu peguei um táxi direto para a Plaza Bolívar, o coração da capital no bairro da Candelária (20.ooo COPs).

No centro, Simon Bolívar, o líder libertador de várias colônias espanholas é ultrajado pelos milhares de pombos que insistem em emporcalhar seu cucuruto. Em volta, o Capitólio Nacional, o Palácio de Justiça e a Primeira Catedral de Bogotá. Lhamas, burricos, balões, turistas, artistas e mendigos completam o cenário. Eu meio que gosto da confusão de estilos e personagens, mas é só. Existe um tour guiado e gratuito por ali e arredores, pergunte no centro de informações turísticas na própria praça. Agregar valor histórico à este lugar com certeza o tornará bem mais interessante, pena eu não ter dito este tempo.

No quarteirão atrás do Capitólio está o Palácio Nariño, residência presidencial e sede do poder executivo do país. As ruas adjacentes são fechadas para veículos e pedestres passam por uma rápida revista. Pode-se andar pela rua, mas não na calçada ao lado do palácio. Depois de ser infernizado pelos soldados, desisti de uma boa foto, também nem queria 😛 . Marília tirou sua fotinha clássica com um guardinha de fachada daqueles.  Há exibição da troca da guarda, mas como em cada site coloca um dia e um horário diferente não vou arriscar escrever algo que não fiz.

Capitólio Nacional

Palácio Nariño e a igreja de Monserrate ao fundo

Subindo  a Calle 11 n6-20, parei para almoçar na Antigua SantaFé. O lugar é apertadinho, com um mezanino de teto baixo, mas bem confortável e fomos super bem atendidos. Comi o autointitulado melhor Ajiaco do Mundo, uma sopa de batata, frango, meio sabugo de milho verde dentro, creme de leite e alcaparras jogadas por cima (isso foi o que eu identifiquei, né?). Tá desconfiado da descrição? Não fique, é muito gostoso. Veio servido com um pratinho do lado com arroz e pedaços de abacate. Pedi também uma massa de milho cozida dentro de um charutão de folha de bananeira com uma coxa de frango inteira dentro chamada Tamale, mas isso eu achei ruim à beça. Para beber, minha delícia colombiana, suco de Lulo.

Ajiaco, Tamale e Suco de Lulo

Subindo esta mesma rua está o Museo Botero, nº 4-41. Aberto de segunda a sábado, das 9 às 19 horas. Domingos e feriados, das 10 às 17 horas. Fechado às terças. Entrada gratuita.

Este é o museu que eu fui para ver, para agregar no meu currículo ;). Fernando Botero é um dos meus artistas preferidos e, sem dúvida, o maior artista contemporâneo colombiano. Além da sua coleção, ainda tem Miró, Picasso, Renoir, Van Gogh, Monet… não dá para não ir.

Ainda era cedo e resolvemos incluir o Museu do Ouro, a pé mesmo. Museo del Oro: Calle 16, nº 588. Aberto de segunda a sábado, das 9 às 18 horas,. 3,5oo COPs,  gratuito aos domingos, das 10 às 16 horas.

O museu é espetacular, sorte a minha que consegui ir. Repare nas grossas portas do cofre que guardam a coleção principal. É considerado o maior museu de ouro do mundo, com mais de 55 mil peças da cultura pré-hispanica. Com mais tempo, merece muito as visitas guiadas em espanhol às 9, 11, 15 e 16h ou inglês às 11, 15 e 16hs.

Tudo feito à pé, subimos a Av Jímenez até o último ponto do meu roteiro: o Cerro de Monserrate. Já era tarde, daí nossa única opção para subir era o teleférico. Chegamos bem próximo ao pôr do sol e ganhamos mais esse presente. La em cima, uma capela simples dedicada a Virgem de Monserrate, a cidade iluminando aos poucos lá em baixo e um frio de congelar os ossos. Tomamos um chocolate quente caro pra casseta e descemos. Fora o que citei não há mais nada para ver.

Pegamos o taxi próximo de 19:30h, 2horas antes do vôo contando com um possível engarrafamento (que não houve). Sobrou tempo ainda muito tempo para rodar no aeroporto.

 

IMG_5598

IMG_5589

 

Cerro de Monserrate: Carrera 2, nº 21-48. Funicular: segunda a sábado, das 7 às 11h45. Domingos, das 5h30 às 17h30 e feriados, das 6 às 17h30. Teleférico: segunda a sábado, do meio-dia às 23 horas; domingos, das 6h30 às 17h30. 15.5oo COPs ida e volta durante o dia  e 17.5oo COPs à noite. Aos domingos, o preço único é de 9.2oo COPs.

Bogotá: Tudo que Você Precisa Saber

Leia mais em:

Bogotá: Roteiro de Domingo

Bogotá: Tudo que Você Precisa Saber

Conheça San Andrés

 

Veja a Galeria de Fotos: Bogotá e Zipaquirá | Fotos

0 Comentários