• IMG_1338
  • GOPR38551
  • IMG_16691
  • DSC028631
  • Slider1

Roteiro: México

Basta jogar no Google “Roteiro México” para descobrir que o país é bem maior que Cancún e a capital. Cada estado tem um sabor, uma cara, um novo roteiro… minha pesquisa inicial foi uma tortura. Eu queria tudo. E era tudo rico, muito e longe! Meu objetivo inicial era estar lá no maior feriado Nacional: El Día de Muertos.
Minha ida para o México foi quase um chamado. Foi válvula de escape com toda a paixão e drama do fim de um relacionamento longo que justifica meu apelido de “Maria do Bairro”, protagonista homônima da novela gringa do SBT. Teve a saudade fresca da alegria e força da Dona Adozinda, minha avó, pra comemorar naquele estilo dela el Día de Muertos e a fome de uma Viagem de Experiências que há muito tempo eu não fazia.

Qualquer santo mexicano tem um coração desses bem coloridos, bordados, estilizados, floridos etc... souvenir bem representativo do México!

Coração Mexicano. Museu Frida Kahlo

Eu só sabia que queria o México do sangue vermelho fogo que escorre nas lágrimas, do surrealismo de Frida Kahlo e Edward James que inspiram minhas idéias mais atravessadas, aquele da religiosidade mística que engrandece a fé que move montanhas, da culinária forte que queima a língua e mais ainda a alma. Ou seja, eu queria fazer o país de ponta a ponta.

Escolhi a dedo 3 pontos para passar 2 semanas

– 4 dias para conhecer as cachoeiras e jardim surrealista da HUASTECA POTOSINA. Um lugar que parece perdido no tempo. O México sem turista e só dos mexicanos (por enquanto).

– 5 dias para a CIDADE DO MÉXICO na semana do Dia dos Mortos. A capital que por si só representa toda a diversidade do México e a celebração que é tão distinta de qualquer coisa que temos no Brasil.
– 3 dias para a religiosidade e gastronomia de PUEBLA e CHOLULA.
Na verdade eu fiquei 16 dias ao todo, mas o tempo proposto é o que eu julgo necessário para conhecer bem os pontos.  O resto  foi gasto com translados e excessos.
 
Sem Visto!
Desde 16 de maio de 2013 os governos do Brasil e do México selaram o acordo de isenção de visto de turismo ou negócios, por até 180 dias, para a entrada de cidadãos de ambos países.
Apesar disto, a apresentação da passagem de regresso, prova de meios de subsistência ou comprovante de hospedagem podem ser questionados no controle migratório.
O México não exige qualquer vacina para ingressar no país.
É recomendável que o passaporte tenha, pelo menos seis meses de validade.
 
Quando ir

Huasteca Potosina – No final de outubro e começo de novembro as celebrações do Dia de Mortos dão um ar muito especial as cidades do interior, em festas cruas como devem ser, feitas para o povo e não para turistas, o que torna os vilarejos inesquecíveis.

Cascata de Tamul

Cascata de Tamul

IMG_6647

 

Cidade do México – De maio a outubro chove muito, principalmente no verão de junho a setembro, mas elas costumam ocorrer em períodos isolados do dia. De novembro a abril, metade do outono até o meio do inverno, o tempo é seco, o céu é claro e as temperaturas são mais baixas, podendo chegar próximo a 0°C no início das manhãs.

Pedra do Sol. Museu Nacional de Antropologia

Pedra do Sol. Museu Nacional de Antropologia

Palácio de Belas Artes

Palácio de Belas Artes

 

Puebla e Cholula – As indicações seguem as mesmas da capital já que ela está a apenas 130km ao sul, lembrando apenas que o tempo seco pode atrapalhar a visualização do horizonte por causa da poluição, consequentemente a vista do vulcão Popocatepetl.

Igreja Nsa. Sra. dos Remédios e o vulcão Popocatepetl. Cholula (foto do Google)

Igreja Nsa. Sra. dos Remédios e o vulcão Popocatepetl. Cholula (foto do Google)

Planeje as Distâncias

A dica, na verdade, é uma constatação óbvia. O  país é enorme. Organize seu roteiro pensando nisso. Vale avaliar custo/benefício e sua disposição para os trajetos.

Uma questão no meu roteiro foi como ir para Xilitla na Huasteca Potosina, por exemplo. Que fica há três horas e meia do aeroporto mais próximo ou mais de sete horas de carro da capital.

 

Moedas e Gastos

A moeda é o peso mexicano.

É um país comparativamente barato para se viajar. Usei apenas pouco mais da metade do que planejei gastar

Não vou entrar em valores neste post, porque cada viajante tem um perfil, mas acredite, você vai gastar menos nesta viagem comparando com outras que já fez no mesmo esquema.

PS: Cancun e Los Cabos são roteiros mais previsíveis para a gringaiada com grana. Obviamente as bagatelas são mais raras.

Vale lembrar que todos os passeios devem ser muito negociados. Como no Brasil, tudo tem um preço justo e outro para gringo.

 

Links:

Huasteca Potosina (Monte seu roteiro)

Dia 1: Xilitla e Las Pozas de Edward James

Dia 2: Sótano de las Golondrinas e Tamul

Dia 3 e 4: Cascatas de Tamasopo e Tampico

 

 

0 Comentários